13 de jul de 2007

Dia Mundial do Rock




The Court Of The Crimson King (including The Return Of The Fire Witch and The Dance Of The Puppets)


The rusted chains of prison moons
Are shattered by the sun.
I walk a road, horizons change
The tournament's begun.
The Purple Piper plays his tune,
The choir softly sing;
Three lullabies in an ancient tongue,
For the court of the Crimson King.

The Keeper of the city keys
Put shutters on the dreams.
I wait outside the pilgrim's door
With insufficient schemes.
The Black Queen chants
the funeral march,
The cracked brass bells will ring;
To summon back the Fire Witch
To the court of the Crimson King.

The Gardener plants an evergreen
Whilst trampling on a flower.
I chase the wind of a prism ship
To taste the sweet and sour.
The Pattern Juggler lifts his hand;
The orchestra begin.
As slowly turns the grinding wheel
In the court of the Crimson King.

On soft grey mornings widows cry,
The Wise Men share a joke;
I run to grasp divining signs
To satisfy the hoax.
The Yellow Jester does not play
But gently pulls the strings
And smiles as the puppets dance
In the court of the Crimson King.


(McDonald-Sinfield)

4 contrapontos:

o amnésico disse...

"As podres cadeias das luas carcereiras
O sol estilhaçou.
Percorro a estrada, de horizontes cambiantes,
O torneio começou.
O Flautista Purpúreo toca,
E o coro canta neste ínterim;
Três arrulhos em língua ancestral,
Para a corte do Rei Carmesim.

O Guardião das chaves da cidadela
Põe reposteiros aos sonhos.
Eu espero à porta do Peregrino
Com irrelevantes esboços.
A Rainha Negra entoa
A nênia,
Os rachados sinos de bronze a retinir;
Invocando a Bruxa de Fogo a retornar
Para a corte do Rei Carmesim.

O Jardineiro planta uma sempre-viva
Pisoteando uma flor.
Acosso o vento de nau prismática
Para provar a doçura e o amargor.
O Manipulador ergue sua mão;
A orquestra toca enfim.
A moenda, lenta, tritura o tempo
Na corte do Rei Carmesim.

Viúvas lamentam nas manhãs cinzentas,
Os Sábios partilham uma anedota;
Persigo afoito sinais de agouro
Para contentar a chacota.
O Bobo Amarelo não brinca já
Mas, brando, puxa os cordões assim.
E sorri enquanto os fantoches dançam
Na corte do Rei Carmesim."


Uma pequena homenagem a um gênero que eu já apreciei mais.

Lüb disse...

Nossa, tão viajada quanto "Road Trippin" do Red Hot Chili Peppers.

Bom, o rock atual tem uma cosias muito ruins, nojentas [não no bom sentido] e muito mal-feitas.

Mas sempre tem algumas coisas boas, infelizmente em geral elas não chegam ao main-stream. São poucos os sortudos que são bons e conseguem fazer isso ^^

Lanark disse...

Ficou muito bom, especialmente a versão em português! Parabéns!

Mas o que é isso exatamente? Você juntou as letras de três músicas? Qual a ligação desse poema com o Rock?

o amnésico disse...

Bem...

Lüb: Achou essa uma viagem? Precisa ouvir o disco...

E você matou a charada! Realmente ainda existem coisas boas por aí, e eu até cheguei a pensar em citar alguma coisa mais atual, mas ando num revival progressivo... (o que, aliás, me deu uma idéia para outra postagem sobre rock, essa mais "pessoal").

Agora, Red Hot é uma dessas bandas que honram a história do rock; e eu não sei qual letra deles é a mais viajante! :-)



Lanark: Obrigado, até que ficou boa, pra uma tradução feita no atropelo...

Esta é a letra da música-tema do disco "(Introducing the Young Person's) In the Court of the Crimson King", de 1969, quando era comum fazerem-se "suítes", canções longas, com várias partes intercaladas; quanto ao tema das letras deste disco (do Peter Sinfield), são semelhantes ao do livro "1984", do Orwell: o mundo dominado por uma ideologia repressiva, que inibe até os sonhos individuais.
A idéia foi fazer uma homenagem que valesse por uma crítica, pois eu vejo o mundo hoje em dia (inclusive a maior parte do que se faz na música) tomando esse rumo.



I know, It's only rock'n roll but I like it... =]