27 de abr de 2007

Exílio


Estou só.
O mundo se agita ao meu redor.
As estrelas brilham por toda parte.
Ninguém me abandonou.
Eu não me isolei.
Sozinho.
Não quero ser.
Não preciso ser.
Apenas estou.
Só.
Sempre.
Uma alma em exílio.

6 contrapontos:

Lanark disse...

Hum... tem divulgado o blog? É importante, na blogosfera é legal conhecer pessoas, trocar comentários.

Escreves muito bem, tens uma destreza com as palavras que eu um dia sonho conseguir. Mas o Nada te assola nos teus escritos, assim como aos meus pensamentos. Tente falar de alguma coisa, algum fato do cotidiano... idéias, pura e simplesmente, ainda bem que bem estruturadas como as suas, espantam leitores. Não se ofenda, só estou dando essa dica caso você queira ter algum retorno com o seu blog. Mas se não se importa se alguém vai lê-lo, ignore o que eu escrevi aqui.


Tens msn? Poderíamos escrever alguma coisa a quatro mãos, seria bastante interessante.

E essa imagem aí? Acaso não é o Tarot da Vertigo?


Abraço!

Johnny disse...

Ah, a solidão...
Ando numa fase já bem duradoura em que me sinto melhor quando estou sozinho.
Não posso me classificar como um ermitão, afinal estou aqui no meio da metrópole, e ligado no mundo através dos fios de meus aparelhos eletrônicos.
Mas no momento, o ser humano padrão me irrita. Estou solitário por opção? Seria uma boa desculpa, mas não tenho o temor que isso não seja temporário.

Um abraço ao Lanark. Amigo que sem querer uni ao amigo Ronan através dos blogs! Solitários na frente do micro, mas unidos no virtual!

o amnésico disse...

Sei que tenho sido limitado, repetitivo, e pior, chato; sabia do risco disso acontecer, o que não imaginei é que fosse durar tanto tempo! Não tenho intenção de me tornar um decadentista anacrônico, sei que existem outros temas a explorar; mas a paralisia e o vazio da minha vida eram maiores do que eu pensava (quase escrevo a tristeza, a pobreza e o exílio)... Espero que esteja me livrando deste peso morto neste início de vida do blog. Ademais, sou um privilegiado: meus primeiros leitores são também excelentes autores! Eu espero mais, mas como deixar de me sentir satisfeito com este início? Obrigado a ambos!

Lanark:
É verdade, tenho indicado o blog p/ alguns amigos meus que cobravam minhas escrivinhações. O feedback tem sido ótimo!
E não me passaram despercebidos os elogios, muito obrigado; quanto à perícia, vem do treino. Siga em frente e continue criando!
Meu msn é ronan@inotus.com, meu nick é exilado@fimdemundo (tema recorrente, hehehe!). Infelizmente, minha conexão é discada e gratuita, o que me limita às madrugadas e finais de semana na internet. Diga quando podemos conversar, gostei da idéia escrevermos juntos! Grande abraço, meu caro!

p.s. Acertou de novo, é o Vingador Fantasma como Eremita! Não resisti à tentação de me colocar na pele dele!


Johnny:
Será que essa insatisfação com o lugar-comum é sempre auto indulgência? Não acredito; o que mais se vê são comportamentos, não atitudes; modismos, não estilo; consumidores, não pessoas. Quem é o mórbido nessa história?
Pode alguém ser censurado por não gostar de andar em meio a bonecos fabricados em série? O velho adagio serve bem, nesse caso: antes só que mal acompanhado...
Abração p/ você também, amigão!

p.s.II Estou constrindo outro blog; quando estiver pronto, vou precisar de um favor de vocês: a troca de endereço do atual.
Eu sei que é chato, mas tenho que corrigir uma bobagem que fiz. Felizmente, ainda demora um pouco...

Anônimo disse...

KaraKas...amigo, desculpa pela ignorancia!!!
Só nao te deixei um scrap antes pque nao sabia que era possível!
Amei, amo tudo!!
Tietando vc, de boa!
E sei que o genio precisa de público ainda que desinteressante como eu!
Tomei posse!
Conseguiu dizer o que gostaria de ter a capacidade de escrever, porque sou eu, meu momento!
Amo sua sensibilidade e a capacidade de falar da solidão e do questionamento da vida de todos nós, pobres mortais, sem a capacidade de expressão!
Muito obrigada e mais, por favor, nao deixe de escrever..
Grande Beijo
Vera

o amnésico disse...

Tenho que registrar isso aqui.

Se eu chego a ter algum mérito no que escrevo, é o de interessar pessoas tão inteligentes, sensíveis e generosas quanto as que têm acompanhado essa minha aventura amadorística!

Como você Vera. E ter a chance de conhecê-la melhor é uma recompensa pela qual sou profundamente grato!

Grande beijo!

Vera Maya disse...

Uau...
Sem palavras, mestre!
Pura gentileza, me emociona..
Minha admiração, minha gratidão pela companhia e pela atenção, meu carinho, amigo!
Bjs