15 de jan de 2009

O Vórtice

Tudo foi engolido, tudo está sendo arrastado até o fundo. O fundo daquele poço que eu tenho ignorado há tanto tempo, por tantas vezes.

... por ser eu mesmo. Não é estranho?

Não é uma piada de mau gosto descobrir que, quanto mais se pensa se conhecer, menos se sabe quem realmente se é? Que todas as virtudes autoatribuídas (acho que inventei essa palavra ou sua grafia agora) não passam de fantasias, que todos os defeitos autoatribuídos são heranças inconscientes? Que tudo tudo que parecia realidade sólida não passa de ilusão?

Quantas vezes esses pensamentos já não me passaram pela cabeça? Quantas vezes não passaram pelas cabeças de todos os outros ratos cegos que, como eu, erraram e ainda erram por esse labirinto interminável, essa sucção maldita que nos puxa para o centro do Nada, isso que chamamos de Vida? Isso que ainda é um dom, um dom que não largaremos facilmente; pelo menos enquanto as inexoráveis leis cegas da Biologia que não entenderemos jamais (special thanks to Lovecraft) continuarem nos empurrando em direção ao Abismo que é nosso destino final, que tememos sem conhecer, que desejamos sem nos darmos conta...

Quem somos nós, afinal? O que queremos, o que tememos? O quê?

Um telefone toca, chamando do infinito; uma estrela cai aos nossos pés; alguém pede um dinheiro trocado e um mínimo de atenção:
“— Ei, criatura! Eu existo, não está vendo?!”

Tudo isso acontece. Nós não vemos. Ou vemos sem perceber, o que dá na mesma.

Como os redemoinhos que alguns “sábios” insistem em dizer que não giram em sentidos contrários relativamente ao hemisfério da Terra em que se encontrem. Como o vórtice que gira no sentido em que quer.

Apesar dos sábios. Apesar de nós.

6 contrapontos:

Danilo Moreira disse...

Pode-se ler todos os manuais do mundo, ouvir todos os sábios, consultar os melhores psicologos e psiquiatras. O ser humano nunca se conhecerá 100% de si mesmo. Sempre haverá algum lado obscuro.

Porem, vai da pessoa saber controlar todos os lados.

Estava com saudades de vir aqui. E pelo que vejo, está melhor do que nunca.

Grande abraço!!!!

Welker disse...

Como já haviamos comentado antes, talvez a vida não tenha sido feita para o autodescobrimento... talvez sejamos como o MST, consumindo e destruíndo do jeito que nos é conveniente e indo embora quando uma ordem judicial nos expulse da terra que nos foi útil. Claro, para isso valer, teríamos que ter um propósito tão bom quanto o do MST, mas como isso nos falta, continuamos a ser sugados lentamente pelo vórtice.

FOXX disse...

"Apesar dos sábios. Apesar de nós."
adorei...

Bárbara (B.) disse...

Você com uma cascata louca sobre o sentir e eu aqui, definitivamente fechada para qualquer tipo de sentimento, talvez por puro instinto de sobrevivência. Invertemos os papéis?

Arthurius Maximus disse...

É sempre um enigma estabelecer a nossa correta orientação. Nessas horas, nem o mais sábio dos sábios compreende os seus desejos.

o amnésico disse...

Há que ser louco para controlar, fazer, sentir ou desejar alguma coisa nessa vida. Há que ser louco para viver.

De dentro dessa ciranda de loucos, eu vos saúdo!