1 de out de 2008

(Walkin' Thru The) Sleepy City*

Não nasci aqui, mas pouco importa, minha cidade natal fica a quarenta minutos de caminhada (meia hora, com tempo bom, se eu estiver disposto); apenas tirei um tempo para caminhar por essas ruas que eu desconheço tão bem, depois da chuva que caiu.

 

It’s always raining in Sunny Side Road...**

 

Fico pensando em vida e fracasso. Vida não é nada demais, estamos todos nessa; já o fracasso me fascina desde muito tempo: gostaria de sentir que não fiz nada de minha vida, que meu tempo aqui foi jogado fora (já ouvi isso, mais de uma vez) e que, de alguma forma, a posteridade vai me cobrar o que não realizei. Sentir o peso do fracasso, enfim. Quase senti isso na adolescência.***

 

Não sinto isso. Não sinto nada, na verdade.

 

Por alguma razão meio obscura, gosto disso: sinto-me como Kwai Chang Caine, exilado de um país que não era o seu (de todo, pelo menos) para um outro país que também não era o seu, tentando viver segundo uma filosofia que funciona dentro de templos Shaolin. O detalhe marcante é ter de vivê-la num ambiente que a ignora, quando não despreza.

E então a chuva recomeça a cair. Lembro de quanto andei debaixo da chuva por essa cidade, vendo o movimento nos bares, nas igrejas, nas casas e fábricas, me perguntando o porquê de tudo aquilo, o porquê de mim mesmo naquilo tudo.


Estou aqui por causa dos meus amigos.


Até hoje, não encontrei resposta àquelas perguntas e estranhamente, eu, que já fui apelidado de 'porquê' por uma mãe desesperada de não encontrar explicações que satisfizessem o filho curioso, não faço a menor questão de ter respostas, creio que entendi o significado das perguntas: lila.


Sânscrito - लीला. Passatempo.


Faço perguntas porque tenho capacidade de fazê-las e não porque elas tenham de ser respondidas. E o Universo me dá material para formular novas perguntas porque talvez, como eu, não tenha nada melhor para fazer...

 

 

 

*Título de canção do álbum "Metamorphosis", Rolling Stones, 1975.

**Trecho de "Exquisitely Bored", do álbum "All the Best Cowboys Have Chinese Eyes", Pete Townshend (The Who), 1982.

***Mas afinal, quem não sentiu?

2 contrapontos:

Welker disse...

É... nesse aspecto somos bem parecidos. Parecidos até demais...

Paulo Medeiros Borges disse...

Nossas Perguntas Incomodam? Se não Incomodarem, não tem mais Graça? Somos Questionadores e isto nos basta. Hail Questions!