15 de ago de 2007

Definições pessoais de...

AMOR
Amor é um grupo de asteróides da faixa desses corpos celestes, localizada entre Marte e Júpiter; sua característica mais marcante é a órbita extremamente excêntrica, chegando alguns deles a passar perto do planeta Mercúrio.
O grupo é formado pelos seguintes corpos (com o nome do descobridor e a data do primeiro avistamento):
  • Eros (Witt, 13/01/1898)
  • Alinda (Wolff, 03/01/1918)
  • Ganimedes (Berge, 23/10/1924)
  • Amor (Delporte, 12/03/1932)
  • Apolo (Reinmuth, 24/04/1934)
  • Adônis (Delporte, 12/02/1936)
  • Hermes (Reinmuth, 28/10/1937)

Amor também é Roma ao contrário.

Esbarrei nesta reflexão após ler a postagem de 12/08 no ótimo Domador de Quimeras, blog cuja visita vale cada linha.
Por que o texto do Carlos sugeriu essa bizarrice, nem eu mesmo sei!

MARCADORES
Há tempos devo essa definição aos leitores, já que o significado dos meus não é evidente:
  • outono – Crônicas pessoais, pensamentos soltos, sonhos acordado e diatribes* de um fígado castigado;
  • férias – Minhas “obras artísticas”: ficções, tentativas poéticas, grafismos & outras gracinhas;
  • patinetes – Quando outros autores já disseram o que eu queria, melhor do que eu;
  • símbolos – Reciclando lixo psíquico: números, presságios, manias, superstições, etc; [editado]
  • ? – Postagem fantasma: não me lembro de quando fiz ou o que ia ser; descobri gravada como rascunho ao organizar os marcadores, noite dessas. Fica como um espaço para coisa nenhuma...

*S. f. 1. Crítica acerba; escrito ou discurso violento e injurioso.
Fonte: Dicionário Aurélio - Século XXI

O AMNÉSICO
  • "...depreciado pelos professores, sendo considerado medíocre, preguiçoso, imprestável e sem o menor senso de ridículo."
  • "...fundou sua própria igreja (...), da qual era o único membro, e excomungava todos que discordassem dele."
  • "Era famoso por possuir 12 idênticos ternos cinza de veludo e fazia coleção de guarda-chuvas e cachecóis. Detestava sol."
  • —"Minha alimentação consiste apenas em comida de cor branca (vou poupá-los dos detalhes revoltantes)."
  • —"Antes de escrever uma peça, eu caminho várias vezes à sua volta, acompanhado de mim mesmo."
  • —"Minha expressão é muito séria. Quando eu rio, é sem intenção e eu sempre peço desculpas, muito educadamente."
  • —"Meu médico sempre me aconselhou a fumar (charutos, naturalmente). Ele sempre dizia: —'Fume, meu amigo. Senão, outro fumará em seu lugar'."

Este é o grande inspirador deste blog, o francês Erik Satie.
Me identifico muito com ele...

4 contrapontos:

vera maya disse...

Claaaarooo!! Já tinha identificado esse toque francês nisso tudo!!

E como comentar esse blog tá bem aquém, além das minhas informações, lá vou eu pro Google..

Grandes sacadas, caro amnésico!!

Bjos

Lanark disse...

Agora eu tô aqui pensando: o que será que você seria capaz de escrever caso ouvisse a música "Amor" do Secos e Molhados...

Uma vez um sujeito chamou meus textos de prosa psicodélica. Adorei o termo.


Mas acho que eles se aplicam melhor aos teus textos!

Lüb disse...

Faz um tempo que eu estava procurando um padrão nos seus marcadores, mas me lembrei que estava quebrando o meu princípio de não ver padrões [eu deixo isso para os meus eu-líricos e para quando eu fizer exercícios da FUVEST]

Se vc adivinhar da onde vem The Universal eu lhe dou um abraço virtual,

se descobrir qual o que originou "Lüb" eu desistirei da minha futura vida de Jornalista e tentarei entrar na faculdade de Filosofia.
[coisas que eu não sei se estou falando seriamente]

Lüb disse...

Nota: Sim, era aquele "The Cure", o do cara que parece o Sandman ^^

Eu tenho um gosot musical bem peculiar,
olha,
5710 musiks, e 800 artistas ^^