18 de ago de 2007

Tá cansado? Vai pescar!

Quase incluí alguma coisa deste ridículo movimento oportunista "Cansei" na minha última postagem, mas pesquisando na net achei isto.

Divirtam-se!

7 contrapontos:

Carlos qualquer coisa disse...

Eis que a tal sincronicidade tão cultuada pelo nosso caríssimo amigo Lanark se manifesta bem ante meus olhos. Pois há poucos minutos eu estava a ver esse blog que você linkou e quando retornei para escrever um comentário - pinba! - vejo outra postagem ganhar corpo no seu blog.

Coincidência?
Sincronicidade?
Loucura?
Quem sabe?

Se não fosse a sua postagem de repúdio contra a campanha daquele jornal, eu não saberia tão cedo disso. Não tenho lido muito jornal ultimamente nem viajado muito pelos mares da rede digital. O cansaço assedia meu corpo e luta contra meu espírito nesses últimos dias. O lado positivo é que estou tão doido que escrevi uma crônica bem interessante (pelo menos para a percepção desta mente um tanto ébria pela fatiga do estudo). Depois postarei.

E falando em mares digitais. Você está se saindo um bom pescador. Encontrando sites, blogs, notícias. Poderia montar sua própria rede de informações, linkar tudo no seu blog e dar um chute nesses editores de jornais que acham que essas estratégias de desmoralizar a "concorrência" é soco que se dá sem se revidar. Aham, ainda bem que os blogueiros sabem o milenar golpe round-house-kick da resposta inteligente e coerente.

Eu achei esse trecho no blog que você encontrou num post que fala da campanha do tal jornal que quer desmoralizar os blogs abordando suas desconhecidas e duvidosas vidas privadas: "Muito diferente, por exemplo, de Pimenta Neves - então EDITOR DO ESTADÃO - que na vida privada preferiu matar uma jornalista com tiros nas costas. Esse sim é um cara legal, né?"

Simplesmente genial.

E obrigado por ter mencionado o meu blog numa postagem sua anterior. Fico contente que as palavras que reuno toscamente no meu blog sirvam pelo menos para inspirar escritores mais talentosos que eu. Isso já atribui ao meu blog um significado: ser ponte à genialidade de outros.

Não sei se o que escrevi acima faz sentido. Tenho uma auto-estima decadente e uma visão de mim mesmo um pouco distorcida. Então confiar na minha própria opinião sobre mim mesmo seria uma tolice. Talvez fosse melhor acreditar nos outros. Pelo menos enquanto não elimino de meu espírito este veneno que me enegrece minha visão e distorce meu reflexo.

Então é preciso mesmo seguir com essa corrente de Pauer ofi Esmuze? Eu indicaria você, o Lanark e a Bárbara. Mas pode uma formiga orlar o pescoço de gigantes com tão simplório arranjo de flores por ela colhidas? Sei lá.

Desconfio que este comentário está saindo maior do que imagino (e imaginação não falta neste pobre diabo). Bem, considere isso como a enxurrada que estou lhe devendo, já que estive ausente por um bom tempo, por causa de uma rotina que estou ainda a acostumar-me.

Mas se este comentário continuar a crescer então não será mais um presente e sim um castigo.

Então deixo um cordial abraço e espero ter escrito tudo o que devia ter escrito, mesmo que tenha saído mais do que devia.

Anônimo disse...

Menino, mas que coisa mais fofa essa indicação, é uma honra... ando escrevendo pouco e postando pouco porque estamos sem liberdade lá no trabalho, coisa de senzala... estamos até sem e-mail pessoal, veja você. Aí, haja paciência pra fazer algo quando chego me casa.
mas uma vez, brigada pela indicacnao e um beijo enorme.

Lüb disse...

Ai meu deus, não da, eu nunca vou chegar aos pés de um comentário do tamanho do Carlos o.O,

anyway, eu faço a menor idéia desse troço de "Cansei", acho que preciso parar de ler Rolling Stone e ir ler algum jornal.


No meu texto o moço q ta la não é lá tão jovem, no conto/crônica são narrados acontecimentos entre os 26-29 anos dele, que se chama Wellington ^^.

Morreu tristemente em 1995. Acontece.

Creio que a negligência em realação a própria sobrevivência é mais um ponto de vista, não uma questão de idade ^^.

Lüb disse...

AH, ja ia esquecendo, mesmo o Wellington tendo morrido assassinado ele ja ia morrer de qualquer jeito, porque além de toda essa desconcertância com a vida ele tinha AIDS, acho que dai que vinha o "Pouco se fudendo" dele.

Anônimo disse...

xô falar? Tô rareando aqui por que proibiram todo tipo de expressão pessoal incluindo blogs, fotologs e e-mais no trabalho. Agora só em casa, quando tenho nervos de ligar o computer. mas tô na área

B. disse...

Obrigada pela indicação, estou honrada.
Já te linkei também. E não achei o link ali em cima pra comentar. Precisamos conversar mais vezes.

Beijo meu.

Anônimo disse...

Aprendi muito