31 de jan de 2010

Perdida na multidão, ela foi

Eu nunca escrevi sobre amor aqui. Eu nunca escrevi nada que fosse real. Nunca achei que precisasse.

Até que ela me achou, perdido na vida. Até hoje.

Hoje, eu não sei aonde ela se perdeu, ou se fui eu que a perdi. Hoje, eu estou perdido na multidão, procurando por ela. Por ela que eu não quis achar quando podia...

Vera Lucia, luz verdadeira de minha vida perdida.

Perdição de minh’alma. Perdição de mim mesmo. Perdoe-me, luz que não iluminou as trevas que não queriam a luz.

A vela que amaldiçoava a escuridão apagou-se. Adeus.

6 contrapontos:

FOXX disse...

ela apareceu ou se foi?

ex-amnésico disse...

Ela apareceu na minha vida. Eu a expulsei.

Como eu já lhe disse mais de uma vez, o Inferno não é uma história que se conta, é uma vida que se perde...

... não perca a sua.

Fernando Amaral disse...

E no escuro só reconhecemos a luz quando ela efetivamente aparece... ainda que longe, distante, intocada. Mas é luz...

Bruno disse...

A lembrança da luz não é um pouco de luz também?

Nemo disse...

A luz, lembrada ou não
já não há de servir mais
a um verme cego...

Fernanda Passos disse...

É todo mundo que escreve, um dia escreve sobre o amor....esse é um tema que não me escapa...foi linda tua mensagem...e então, ela voltou?